Seguem as reuniões de planejamento para o Carnaval de Rua de Porto Alegre 2016. No último dia 16/04/15, foi realizada, no salão da Igreja Sagrada Família, uma reunião entre blocos, associações de moradores da Cidade Baixa, associações de bares da Cidade Baixa, Prefeitura, Brigada Militar, EPTC e DMLU, para que todas as partes envolvidas fossem ouvidas.

A reunião teve por objeto a avaliação do Carnaval de Rua 2015, oportunizando a palavra para moradores, representantes dos blocos e dos órgãos municipais e estaduais.

Os representantes dos moradores bateram muito na questão da limpeza pós-carnaval, pois, no dia seguinte, o cheiro de urina é insuportável. Exigiram, também, um número maior de banheiros químicos, um efetivo maior de brigadianos, a fim de garantir a segurança de todos envolvidos, e, por fim, alegaram que a dispersão pós-carnaval não funcionou.

Por parte dos blocos, as exigências foram por uma maior e melhor infraestrutura para os foliões, como mais banheiros químicos e o aumento no número de lixeiras com uma melhor sinalização das mesmas. Outra exigência dos blocos foi por uma melhor qualidade técnica dos trios elétricos, a fim de oferecer uma festa com mais qualidade aos expectadores.

Os blocos também leram e entregaram às entidades presentes uma carta com os pontos que deverão ser observados com mais responsabilidade por todos os envolvidos neste processo (para ler, clique aqui) .

Ao final, os blocos solicitaram uma prestação de contas por parte da Prefeitura referente à verba pública destinada ao pagamento dos cachês dos blocos.

Os blocos também solicitaram a prestação de contas quanto às verbas disponibilizadas pelos patrocinadores (Skol e NET), bem como esclarecimentos quanto à forma de contratação, por parte da Prefeitura, da produtora responsável pelo evento.

Tais exigências causaram certo desconforto e inquietação aos representantes da Prefeitura, tornando-se, este, o momento mais tenso da reunião. Entretanto, os mesmos se comprometeram a apresentar, em reunião a ser realizada no dia 12/05/15, a prestação de contas quanto às verbas públicas e, também, a prestar maiores esclarecimentos quanto à contratação da produtora envolvida no evento.

A Turucutá continuará participando, colaborando e exigindo um processo cada vez mais cristalino para que o Carnaval de Rua de Porto alegre torne-se referência nacional e que a festa seja cada vez mais segura, mais bonita e mais alegre, pensando sempre, claro, na satisfação de todas as partes envolvidas.