A Turucutá, enquanto coletivo que tem a rua como sua casa, apoia, com toda a força dos seus tambores, a Arte na rua! Ao alcance de todos! Sem distinção, segregação ou preconceitos... Com respeito pelo público, pelo não-público e pela Arte!

Que nós, artistas de rua, possamos desfrutar do prazer que é trabalhar com aquilo que amamos sem empecilhos burocráticos e uma regulamentação que evidencia o desconhecimento e desvalorização do nosso trabalho.

Para conhecimento: Nós transformamos cotidianidades em histórias; concretos em cores; ruídos em sons; um simples deslocamento em pausa para reflexão.

Não burocratizarão, nem conseguirão nos periferizar, como há muito já fazem com a cultura popular. A lei deve ser do artista e não contra. Se não for assim e se não houver diálogo, “não passarão”.

Foto: Filipe Castilhos